This Page is not available in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

Ciência à Conversa | 4 de dezembro

Encontros na 1ª quarta feira de cada mês

##2##

O Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) organiza a iniciativa "Ciência à Conversa", que através de um ciclo de debates pretende promover e comunicar diferentes temáticas de âmbito científico junto da comunidade académica e local. 
As atividades enquadradas no "Ciência à Conversa" têm lugar na primeira quarta-feira de cada mês, no período de almoço, desafiando, assim, os participantes a realizarem uma refeição ligeira enquanto falam de ciência. Os debates têm como objetivo aproximar os participantes das diferentes vertentes da ciência através de uma abordagem informal, acessível e direta, que fomente a troca de ideias e experiências.
Assista às sessões mensais, em direto, aqui.

04 de dezembro

A iniciativa incide sobre um novo cenário digital e de colaboração em rede está a servir de estratégia para aproveitamento de mão de obra a baixo custo ou a custo zero…
A convidada para esta conversa é a Professora Marta Pinho Alves da Escola Superior de Educação/IPS.
Contemporaneamente, construiu- se a noção de que qualquer indivíduo tem a possibilidade, através da rede, de participar como um membro de uma comunidade e de criar valor com os seus pares. Face a este modelo cultural, ao qual se convencionou atribuir a designação cultura participativa, assumiu-se a expectativa de reformulação dos modos habituais de produção cultural dominados pela indústria, pelas lógicas comerciais e pela massificação.
Este novo cenário de colaboração em rede, em vez permitir a redistribuição do poder entre os vários indivíduos, gera o restabelecimento dos modelos convencionais de negócio.

Local: Sala de Atos dos Serviços Centrais

##8##

 

06 de novembro

A chamada quarta revolução industrial resulta da transformação digital da indústria, sendo, muitas vezes conhecida como Indústria 4.0. Esta designação é muitas vezes adaptada ao sector de atividade e no caso do sector da água, podemos designá-la de Água 4.0. O próximo Ciência à Conversa terá a participação de Bruno Ferreira, Diogo Felicíssimo e Nelson Carriço que irão abordar os desafios que o setor da água, tão fundamental aos outros setores de atividade, enfrenta no seu processo de transformação digital. O IPS pode ter um papel importante neste processo e tem uma participação ativa em três projetos de investigação (AGIR, DECIdE e WISDom).

Local: Sala de Atos dos Serviços Centrais



02 de outubro

O tema da primeira "Ciência à Conversa" do ano letivo 2019/20, incide sobre as microalgas, uma fonte de nutrientes alternativa e sustentável.  Carla Santos, docente da ESTBarreiro, que irá falar sobre as vantagens e desvantagens que as microalgas apresentam e que projetos estão a ser desenvolvidos no IPS neste campo.
As microalgas são abundantes na natureza, tanto em meios aquáticos salinos como de água doce, fazendo parte da base da cadeia alimentar nesses habitats.  São microrganismos unicelulares com diversas formas, cores e dimensões, conhecendo- se 35 mil espécies diferentes.

Atualmente as microalgas estão a ser produzidas em escala industrial, no entanto estas tecnologias têm custos de produção elevados, o que faz com que o produto final não seja competitivo face às fontes de proteína atualmente no mercado, pelo que a investigação científica tem-se focado em todos os aspetos que podem levar à redução destes custos.

Participe, para saber mais sobre o futuro verde.

Local: ESTBarreiro/IPS.

 

03 de julho

 

A engenharia genética tem sido alvo de várias críticas, sobretudo na sua aplicação em seres humanos. Contudo, convém lembrar que a tecnologia teve como propósito inicial a cura de doenças e outros flagelos. Atualmente, a tecnologia que lhe está associada pode proporcionar alterações no genoma, de modo a eliminar algumas doenças genéticas, mas também, se assim se pretender, selecionar os melhores genes e características.

Apesar dos claros benefícios que a tecnologia de engenharia genética pode trazer, os riscos são amplamente discutíveis e há grande oposição ao uso desta tecnologia. Contaremos com as professoras Gabriela Gomes e Marta Justino da ESTBarreiro/IPS para conversar sobre até onde se pode e/ou deve ir e que riscos corremos...

A última conversa, antes das férias, decorre na  ESTBarreiro/IPS.

##6##



05 de junho

Em turismo, tal como em qualquer outra atividade de gestão territorial ou económica, o planeamento tem como objetivo alcançar dois benefícios em simultâneo: reduzir o risco de possíveis impactos negativos e maximizar os positivos.

O projeto TARGET centra-se no segundo destes objetivos, em termos do aumento da competitividade de um destino turístico e procura abordar esta questão sob a perspetiva de modelos de governação que facilitem a criação de negócios inovadores e sustentáveis.

As oradoras convidadas foram a Professora da ESCE/IPS Teresa Costa Phd e investigadora do projeto e Ana Bugio Mestranda a desenvolver a dissertação de mestrado no âmbito do projeto na ESCE/IPS.

Apesar do dinamismo dos empreendedores turísticos em Cascais e em Setúbal (concelhos em estudo), as empresas que têm vindo a ser criadas estão mais orientadas para explorar os produtos turísticos habituais, não investindo necessariamente em produtos inovadores e sustentáveis. Existe, pois, a necessidade de estabelecer um modelo de governação que encoraje e apoie a emergência de negócios inovadores e sustentáveis, que enriqueçam e diversifiquem a oferta turística, e que resultem das ações empreendedores de stakeholders, atuais ou potenciais, agindo como parte de uma estratégia alinhada com as opções dos gestores do destino e em cooperação com outros agentes.

 

08 de maio

A melhor estratégia para comunicar ciência, é não ter propriamente uma estratégia", foi assim que o nosso convidado deu início à conversa no  dia 8 de maio.

A sessão foi dedicada à comunicação de ciência, à sua importância para uma sociedade informada e esclarecida. Contámos com a presença do professor, jornalista e apresentador de televisão Reginaldo Rodrigues de Almeida, que veio falar sobre a "arte" de comunicar ciência. Como despertar o interesse e "seduzir" uma plateia!

A comunicação de ciência é algo que deve ser analisado, uma vez que na grande maioria dos casos é um discurso hermético e difícil de conseguir chegar ao público.

Segundo o professor, a regra é simplificar, ter a capacidade de transformar coisas importantes em coisas interessantes!

Confessou também que em alguns casos, dependendo dos temas, recorre a ilustrações de Banda Desenhada nas suas apresentações, para cativar a audiência. E para quem não conseguiu estar presente, está disponível aqui.

Dia 5 de junho, a conversa será para apresentar um projeto que pretende inovar na área da competitividade de um destino turístico.

 

Cartaz de divulgação - maio de 2019



03 de abril

 

A última edição do "Ciência à Conversa" comemorou a 40.ª sessão da iniciativa, e contou com a presença especial do anterior Pró-Presidente do IPS para a Investigação,  Filipe Cardoso.

O tema da conversa foi o desporto.

Este fenómeno cultural está associado a momentos potenciadores de inclusão social, nomeadamente de pessoas com condição de deficiência.

Mário Espada docente na área do Desporto da ESE/IPS e Danilo Ferreira selecionador nacional de andebol em cadeira de rodas e atualmente a frequentar a licenciatura em Desporto da ESE/IPS, foram os convidados para uma conversa sobre esta temática.

Que papéis pode desempenhar o desporto de forma a constituir-se como momento de inclusão inversa, cada vez mais pertinente na consciencialização da população.

De salientar que o investimento global (pessoal e financeiro) também tem aumentado exponencialmente nos últimos anos, tornando-se relevante a reflexão e debate sobre as práticas nesta área.

 

Cartaz de divulgação - abril de 2019


06 de março

A última conversa incidiu sobre instrumentos de alta precisão, raios laser!

Anna Letournel, docente da ESS/IPS teve a oportunidade de aprender sobre a física dos lasers com um dos investigadores laureados com o Prémio Nobel da Física em 2018 - Gérard Mourou, e foi a nossa convidada para conversar sobre o que são estas "ferramentas de luz" e que aplicação podem ter na nossa sociedade.

Como é que objetos extremamente pequenos podem ser observados, assim como a imensidão de aplicações industriais e médicas que podem vir a ter.

Cartaz de divulgação - março de 2019

Assista ao vídeo desta sessão aqui.

 

06 de fevereiro

Na 4ª feira na foi esclarecido que a lombalgia é um sintoma e não uma doença, e que em 90% das pessoas não é possível identificar uma causa anatómica ou fisiológica para os sintomas de "dor nas costas".

Foram também apresentadas algumas recomendações para o tratamento, nomeadamente o facto de a intervenção de primeira linha dever ser a não farmacológica e orientada para a autogestão da condição. Neste contexto, autogestão implica que seja o próprio indivíduo com lombalgia a gerir os seus níveis de atividade física, bem como um conjunto de fatores do seu contexto, com o intuito de controlar a sintomatologia. Para isso, deverá contar com as recomendações e orientações de um fisioterapeuta.

O Projeto SPLIT tem como objetivo a melhoria dos cuidados de saúde associados à lombalgia, e em parceria com o ACES Arrábida, estruturou uma resposta de fisioterapia integrada, personalizada e de acordo com o risco de cada pessoa desenvolver dor persistente e incapacitante. Para isso, as pessoas com lombalgia poderão deslocar-se a uma das unidades parceiras do projeto (USF Castelo, USF Luísa Todi, USF Sado, USF Santiago Palmela, USF São Filipe, UCSP Praça da República, e UCSP Sesimbra) e, caso sejam identificadas pelo Médico de Medicina Geral e Familiar como possíveis participantes do projeto, serão referenciadas para a fisioterapia.

A conversa terminou com o aconselhamento para a necessidade de avaliação de qualquer episódio de lombalgia, e para a manutenção de um estilo de vida ativo, nomeadamente da prática regular exercício físico, que constitui uma das estratégias mais eficazes para a prevenção deste problema: "Movimente-se! Pelas suas costas!".

Cartaz de divulgação - fevereiro de 2019

Assista ao vídeo desta sessão aqui.

 

09 de janeiro

Nada como começar o ano a falar de Ostras! Convidámos o professor Ricardo Salgado da ESTSetúbal/IPS para vir falar do projeto OSTRAQUAL, que visa promover e valorizar a qualidade das ostras de aquacultura na região do Sado e Mira.

Nesta conversa, entre muitas outras curiosidades, fizemos uma retrospetiva histórica da aquacultura no Sado, ficámos a saber quais as metodologias utilizadas, os fatores que determinam a qualidade das ostras, o valor nutricional das mesmas e até de que forma está a ser acautelada a sustentabilidade desta atividade.

Numa discussão participada ficámos ainda a conhecer a existência de dois tipos de ostras no Sado, a ostra portuguesa, Crassostrea angulata, que se pretende preservar e a ostra do Pacífico, Crassostrea gigas.

Outras questões levaram-nos ainda à discussão do potencial comercial dos subprodutos da ostra, sobre a necessidade da certificação da Ostra do Sado, bem como das condições ótimas de produção destas.

Cartaz de divulgação - janeiro de 2019

 

Notícias relacionadas

1º ano Ciência à Conversa: Entrevista com Prof. Doutor Filipe Cardoso


Um ano de partilha de saber à hora do almoço | Ciência à Conversa 2017

 

 




29 de novembro/2019

 

Opções
Últimas Notícias
1.ª Feira de Parceiros do IPS | 11 de dezembro
IPS distinguido como instituição de ensino superior Mais Voluntária
São Silvestre do Sado IPS estreia corrida para os mais novos
Programa Desenvolver+ Oxigénio | Atividades para dezembro
IPS inaugura ciclo de formação sobre Direitos Humanos e Democracia